Brasil: Marchan y piden renuncia de Michel Temer

El noticiero de anoche de O Globo, visto por el 65% de la población, (este 17 de mayo) anunció que el empresario de la carne Joesley Batista habría grabado una conversación con Michel Temer en la que habrían arreglado el pago semanal de R$ 500 mil para mantener callados a Eduardo Cunha y Lúcio Funaro. Según la misma fuente también habrían grabado al hasta ayer senador Aécio Neves pidiendo R$ 2 millones. Sin que los audios sean divulgados la reacción popular no se hizo esperar y ayer la población salió a la calle pidiendo la renuncia de quien usurpó la presidencia.

Joesley Batista y su hermano Wesley son empresarios de la carne, dueños de la empresa JBS. Sus nombres aparecieron en los medios en el marco de la operación "Carne Fraca", cuando se denunció una partida de carne contaminada y se montó una campaña mediática para acabar con la industria nacional del sector. Según información de O Globo ayer se habrían presentado los hermanos Batista junto a otras cinco personas en el Supremo Tribunal Federal para ir hasta el despacho del ministro Edson Fachin y mostrarle las grabaciones que hicieron de sus encuentros con Michel Temer, en los que habrían arreglado el pago de una sumana semanal de R$ 500 mil reales (cerca de US$160 mil) durante 20 años para mantener a Eduardo Cunha y Lúcio Funaro, ambos detenidos por causas de corrupción y operadores del proceso destituyente de la mandataria Dilma Rousseff. Según O Globo, la Policía Federal habría filmado la entrega del dinero.

Tras divulgada la información las calles de distintas ciudades de Brasil comenzaron a llenarse con personas que pedían la renuncia del poder ejecutivo y el llamado a elecciones directas. El objetivo del Frente Brasil Popular, del cual forman parte 80 movimientos, entre ellos el Partido dos Trabalhadores, la Central Única dos Trabalhadores, el Movimiento de Trabajadores Rurales Sin Tierra y el Movimiento de Trabajadores Sin Techo, es llamar a elecciones para octubre de este año con Lula de candidato.

Milhares vão às ruas nesta quinta para pedir renúncia de Temer e Diretas Já!

Segundo levantamento realizado pelo Brasil de Fato, nesta quinta-feira (18) foram realizadas manifestações em 23 estados, exigindo a realização imediata de eleições diretas, além da renúncia também imediata do presidente golpista, Michel Temer (PMDB). As organizações que compõem as Frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo chamam mobilizações, em todos os estados, desde esta quinta-feira (18) até domingo (21).

Minas Gerais

Em Belo Horizonte, a estimativa é de que mais de 50 mil pessoas, segundo os organizadores, se concentraram na Praça 7. Alexsandra Maranho, do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), falou sobre a importância de realizar cada vez mais protestos nas ruas: “Estamos chamando toda a população para também vir para as ruas, porque só assim é que de fato o Temer e a corrupção vão cair no Brasil. Enquanto eles fizerem conchavos, enquanto continuarmos tendo golpe em cima de golpe, não vai haver mudança na estrutura do país”.

Rio de Janeiro

O centro do Rio esteve lotado de manifestantes. Cerca de cem mil pessoas, de acordo com os organizadores, fecharam as duas principais avenidas do centro da cidade. Às 19h, teve início uma marcha em direção à Praça da Cinelândia, palco de protestos históricos como as Diretas Já em 1988.

Cerca de uma hora depois do início da manifestação, a polícia dispersou a multidão com bombas de gás lacrimogêneo.

O líder do MTST desse estado, Vitor Guimarães, disse que não é possível confiar o futuro do país ao Congresso ou mesmo STF: “Não adianta achar que o Rodrigo Maia, que esse Congresso, cheio de corruptos e golpistas, vai poder resolver alguma coisa ou que o Judiciário pode conduzir alguma melhora. O povo tem que decidir o futuro do Brasil!”

Distrito Federal

A defesa da democracia e realização de novas eleições, com participação popular, foram as principais reivindicações dos manifestantes em Brasília. Indígenas, servidores públicos, trabalhadores rurais, artistas, entre outros, marcharam pela Esplanada em direção ao Congresso Nacional.

Alexandre Conceição, dirigente do MST, foi uma das lideranças que se somaram à massa de manifestantes que protestaram na porta do Palácio do Planalto, na capital federal. Conceição foi um dos signatários do pedido de impeachment protocolado conjuntamente por partidos de oposição e pela sociedade civil organizada no final da tarde desta quinta (18).

“O áudio comprova a corrupção deste governo, e comprova aquilo que os movimentos sociais denunciavam, que foi um governo ilegítimo, e que estava tentando implementar uma pauta ilegítima, de retirada de direitos dos trabalhadores. Portanto, agora é rua!”, afirmou Conceição.

Pará

Já a organização do ato em Belém, capital paraense, estima que participaram pelo 5 mil pessoas das manifestações. Mobilizados pelas frentes Povo sem Medo e Frente Brasil Popular, os manifestantes, durante todo o percurso da marcha, conclamaram as palavras de ordem foram “Fora Temer”, “Fora Zenaldo” (atual prefeito de Belém), “Fora Jatene” (governador do Pará), e “Diretas Já!”.

Tata Kinampoji, do movimento negro, disse que as gravações em que Temer pede suborno para calar Eduardo Cunha, “evidenciam que o governo é contra todos os direitos sociais da população brasileira, principalmente do povo negro e das mulheres”.

Rio Grande do Sul

Em Porto Alegre, cerca de 2 mil pessoas participaram do ato convocado na Esquina Democrática. Carlos Musselini, do MST RS, reforçou que o povo brasileiro quer Fora Temer e Diretas Já: “Não vamos aceitar a eleição indireta que o Congresso Nacional, aonde o próprio Cunha, apesar de estar preso, afirma que manipula mais de cem deputados, quer impor. Queremos eleições diretas já, para podermos escolher o nosso novo presidente da República”,

Pernambuco

No Recife, os manifestantes se concentraram na Praça do Derby para marchar pela Avenida Conde da Boa Vista. A estimativa é de que cerca de dez mil pessoas estiveram presentes.

São Paulo

Em São Paulo, mesmo sob chuva, mais de duas mil pessoas protestaram em frente à Secretaria da Presidência, na Avenida Paulista, pedindo o impeachment do presidente Temer.

https://www.brasildefato.com.br/2017/05/19/milhares-vao-as-ruas-nesta-quinta-para-pedir-renuncia-de-temer-e-diretas-ja

Comentarios